Cristãos sofrem pressão para se converterem ao Hinduísmo, diz ong

Sob a pressão de nacionalistas hindus, cristãos não podem falar sobre Jesus,  céu ou inferno (foto: Babu/Reuters)

Sob a pressão de nacionalistas hindus, cristãos não podem falar sobre Jesus, céu ou inferno (foto: Babu/Reuters)

Nacionalistas hindus na Índia estão impelindo cristãos no país a abandonar sua fé. Assim denuncia uma organização que atua com cristãos perseguidos no país, que afirma também que muitos chegaram a ser proibidos de falar sobre Jesus, céu ou inferno, como forma de pressão para se converterem ao Hinduísmo.

“Em todos os estados da Índia, militantes ameaçaram e mataram trabalhadores da igreja”, disse Paul Robinson, diretor-executivo da Release International, em um artigo publicado pela Premier Christian nesta quarta-feira (17). “Os extremistas tentaram forçar os cristãos a renunciarem à fé e a converterem-se ao hinduísmo. Bombardearam, incendiaram, vandalizaram e derrubaram igrejas”.

Além disso, leis anti-conversão em cinco estados tornaram praticamente impossível falar e compartilhar a fé cristã, uma vez que muitas atividades missionárias ou evangelísticas são tidas como suspeitas pelos nacionalistas.

“Baseiam-se na ideia de que a conversão à força deveria ser ilegal. Penso que todos concordariam que a conversão à força seria inútil. Mas na verdade, se você prega sobre o Céu, então é considerado um suborno. Se você fala sobre o Inferno, então é considerado uma ameaça. Se você oferece qualquer tipo de caridade cristã, então é considerado também como suborno”, ressalta Andrew Boyd, também da Release International.

Boyd observou que os membros da comunidade Dalit, que são também conhecidos como “intocáveis” e estão na ordem das castas mais baixas, continuam a se converter ao cristianismo, o que está enfurecendo os nacionalistas. “Essas pessoas estão se convertendo ao Cristianismo e um grande número deles estão se convertendo porque estão encontrando aceitação, dignidade e valor e isso está provocando uma reação bastante”, disse ele.

Houve vários casos recentes de cristãos sendo forçados ou pressionados a retornarem ao Hinduísmo, incluindo um número na vila Junwani de Chhattisgarh durante a época da Páscoa.

A International Christian Concern relatou no início desta semana que os cristãos na aldeia foram multados em US $ 312, ou quase quatro a cinco meses de salário, ao serem encontrados assistido a um culto na igreja durante a Páscoa deste ano. Embora 15 famílias cristãs tenham sido forçadas a “reconverter”, algumas recusaram.

“Que crime eu cometi para ter que pagar uma multa Eu não roubei nada Eu não tenho contaminado qualquer mulher. Eu não briguei, eu não matei ninguém. Se você acha que ir à igreja e adorar Jesus é um crime, vou cometer esse crime todos os dias”, disse Kanesh Singh, de 55 anos, aos anciãos da aldeia.

Shivaram Tekam, também de Junwani, disse que os cristãos foram forçados a dar gado, dinheiro e outros presentes à deidade da aldeia durante a cerimônia de reconversão. “Eles podem me impedir de ir à igreja, mas eles não podem tirar Jesus do meu coração. Eu vou encontrar maneiras e secretamente vir à igreja”, Tekam disse a um pastor local.

O papel do primeiro-ministro Narendra Modi na ascensão do nacionalismo hindu também foi examinado. Grupos cristãos, como a Christian Aid Mission, acusaram o governo de facilitar uma atmosfera nacionalista hindu que incentiva a violência contra os cristãos.

A Open Doors lista a Índia no número 17 da World Watch List, um ranking de países onde os cristãos são alvo de sua fé, argumentando que o hinduísmo radical aumentou de forma constante sob o governo de Modi.

Outros, como o bispo Joseph D’Souza, ativista dos direitos humanos e presidente do Conselho Cristão da Índia, disseram que Modi tem estado aberto ao diálogo e está disposto a ouvir os líderes cristãos para cultivar a paz e a compreensão .

Fonte: The Christian Post

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *