Enfermeira processa hospital que a demitiu por orar por pacientes

Sarah Kuteh foi denunciada por orar e evangelizar pacientes: “Não consigo entender o que há de tão perigoso em falar de Jesus para alguém” (foto: Reprodução)

Sarah Kuteh foi denunciada por orar e evangelizar pacientes: “Não consigo entender o que há de tão perigoso em falar de Jesus para alguém” (foto: Reprodução)

Sarah Kuteh, enfermeira cristã com 15 anos de experiência, está processando o hospital onde trabalhava, após ter sido demitida por “má conduta”. Isso porque ela foi advertida diversas vezes por orar e falar sobre religião com pacientes. O caso aconteceu em Dartford, Reino Unido.

No entendimento da direção do hospital de Darent Valley, a enfermeira estimulava “discussões indesejadas” com os pacientes e ignorava assim as regras de conduta quanto à discussão de crenças religiosas. Três deles prestaram queixa contra Sarah e, após uma série de investigações, ela foi demitida no mês de agosto.

À imprensa britânica, o hospital explicou que Sarah abusou dos poderes das suas funções ao falar sobre o tema em questão, deliberadamente, sem a permissão do doente, e o cúmulo foi oferecer uma bíblia a um dos pacientes.

Em sua defesa, Sarah afirmou que quando assumiu sua função no hospital no ano passado, chegou mesmo a evangelizar pacientes sem pedir a permissão deles, mas que ao ser advertida pela primeira vez, passou a seguir o protocolo. A enfermeira ressaltou que acreditava que os pacientes se sentiam confortáveis a falar sobre o tema e assim lhes ajudava a completarem um questionário que incluía uma pergunta sobre religião.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais, Sarah relatou que ao ser demitida, teve que ser retirada do prédio acompanhada pela segurança do hospital, ato que ela julgou ser desnecessário. “Não consigo entender o que há de tão perigoso em falar de Jesus para alguém”, disse ela.

Com informações de Jornal Direto

Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *